Fotografia Impressa e Propaganda em Portugal no Estado Novo

55.00 

de Filomena Serra (org),

Muga, 2021
ISBN 978-84-09-31538-3
Capa dura
Edição bilíngue português-inglês
238 fotografias
400 páginas
16,5 x 24 cm.

Textos de Filomena Serra, Paula André, Manuel Villaverde Cabral, Javier Ortiz-Echagüe, Eduardo Cintra Torres, José Guilherme Victorino, Natasha Revez, Sofia Leal Rodrigues, Patrícia Ferraz de Matos, Susana Lourenço Marques, Luciene Lehmkuhl, Israel, Guarda, Ana Barata, Heloísa Paulo, José Oliveira, Filipa Subtil, Filipa Lowndes Vicente, Maria Manuela Gomes, Leonor Pires Martins, Patrícia Ferraz de Matos, Inês Vieira Gomes, Afonso Dias Ramos, João Leal, Vasco Ribeiro, Susana S. Martins, Paulo Melo e Castro e Ros Boisier

Fotografias de Fábio Cunha

Esgotado

Descrição

Um estudo sobre a fotografia impressa produzida como meio de propaganda política pelo Estado Novo em Portugal
Através da montagem e da fotomontagem, a fotografia impressa durante o Estado Novo em Portugal explorou as possibilidades narrativas e conotativas da imagem nos diversos meios de comunicação, adquirindo relevância tanto na propaganda oficial como nos discursos de oposição ao regime.

Resultado de um projecto de investigação, fotografia impressa e propaganda em Portugal no Estado Novoé referência para historiadores, pesquisadores, colecionadores e fotógrafos. O livro contém 238 reproduções de 50 publicações históricas que vão de 1928 ao fim da ditadura em 1974 (livros, revistas ilustradas e catálogos), organizadas em quatro capítulos temáticos e acompanhados de comentários que resumem e contextualizam cada uma das publicações referenciadas. A selecção proposta por Filomena Serra inclui também algumas publicações de ‘protesto’ ou que propõem um discurso alternativo à imagem oficial: o surrealismo de Fernando Lemos, o humanismo de Palla e Martins ou as visões críticas do regime autoritário de Salazar. A seleção é complementada por algumas publicações sobre Portugal que surgiram fora do próprio país.

//

Um estudo sobre uma imagem fotográfica impressa produzida como instrumento de propaganda política pelo Estado Novo português

Através da montagem da fotomontagem, a fotografia impressa durante o Estado Novo em Portugal explorou as possibilidades narrativas e conotativas da imagem em diferentes meios de comunicação , tornando-se relevantes tanto na propaganda oficial como nos nossos discursos de oposição ao regime.

Resultado de um projecto de investigação, fotografia impressa e propaganda em Portugal no Estado NovoConstitui-se como referência para historiadores, pesquisadores, colecionadores e fotógrafos. O livro inclui 238 reproduções de 50 publicações históricas publicadas desde 1928 no final da edição (livros, revistas ilustradas e catálogos), organizadas em quatro capítulos temáticos e acompanhados de comentários que resumem e contextualizam cada publicação publicada. Uma selecção proposta por Filomena Serra está também aberta à inclusão de algumas publicações de ‘protesto’ ou que apresentem um discurso alternativo às cenas e estereótipos das imagens oficiais: ou surrealismo de Fernando Lemos, ou humanismo de Palla e Martins ou opiniões críticas em relação com o regime. Complete uma seleção de algumas publicações sobre Portugal surgidas no seu próprio país.

//

Através da montagem e da fotomontagem, a fotografia impressa sob o Estado Novo português explorou o potencial narrativo e conotativo da imagem nos diversos meios impressos, tornando-se altamente significativa tanto na propaganda oficial como nos discursos dos opositores ao regime. O leitor encontrará um conjunto de publicações selecionadas do final dos anos 1920 aos anos 1970, organizadas em quatro capítulos temáticos transversais. Priorizamos as informações sobre a autoria das fotografias, desenhos, ilustrações, textos e outros elementos informativos, com o objetivo de oferecer uma síntese contextualizada da dimensão pública e histórica desta cultura fotográfica impressa, sempre com vistas ao diálogo. entre texto e imagem.