O Silêncio / É Bonito / Aqui Está Ela / Por Tudo e por Nada

7.00 

de Nathalie Sarraute
ISBN: 9789728972530
Edição ou reimpressão: 06-2012
Editor: Cotovia
Idioma: Português

Descrição

O Silêncio
Seis personagens não podem desenvolver um diálogo nornal por causa do silêncio de uma sétima.

Mulher 2 Porque ainda agora…
Homem 1 Ainda agora o quê?
Mulher 2 Bom, tu próprio…
Homem 1 Eu próprio o quê?
Mulher 3 O silêncio dele…
Homem 1 Mas qual silêncio?

O Silêncio, Nathalie Sarraute

É Bonito
Um pai e uma mãe dividem-se sobre o olho irónico do seu filho. A culpa parental assume neste texto proporções enormes. Mas a farsa da linguagem esconde o drama da incomunicabilidade, do diálogo como luta, da linguagem como traição.

Ela O que não impede que às tantas tenhas hesitado. Também tiveste medo, confessa lá…
Ele Medo? Eu? Estás a sonhar…
Ela Só te fica bem… Quem não tem medo… Mas tu, eu vi… há bocado, quando ele te desafiou… quando te exaltaste… esmifraste-te…
Ele Ah, isso não. Nem um bocadinho. Eu disse-lhe, gritei-lhe: É bonito. Bonito. Bonito. Bonito…

É Bonito, Nathalie Sarraute

Aqui está Ela
História de uma obsessão. A obsessão é, bem como a linguagem, um dos temas recorrentes de Sarraute.

Homem 2 Olhe, tenho que lhe dizer… Preciso de falar consigo…
Mulher Sim? Sobre o quê?
Homem 2 É uma parvoíce… é muito difícil… Não sei como… Por onde começar.
Mulher Diga lá, diga lá. Que fiz eu desta vez?
H.2 Oh, nada. Nada. Nada, precisamente, não fez nada. Não disse nada. Ficou calada…
Mulher Devia ter falado?
H.2 Sim, mais valia…

Aqui Está Ela, Nathalie Sarraute

Por Tudo e Por Nada
Dois homens confrontam-se, dois amigos discutem talvez por tudo e por nada. A tensão que existe nas palavras mais simples, os movimentos físicos e psicológicos dão ao leitor uma sensação de mal-estar, mas fascinam ao mesmo tempo.

Homem 2 “E que tomem cuidado… que prestem muita atenção… são bem conhecidas as penas em que incorrem aqueles que têm o desleixo de se permitirem assim, sem razão… Ficarão marcados… Só com prudência é que nos aproximaremos deles, com a maior das desconfianças… Toda a gente saberá de que é que eles são capazes, de que é que podem ser culpados: podem cortar relações por tudo e por nada.”

Homem 1 Por tudo… e por nada? (Silêncio.)
Homem 2 Tudo e nada?
Homem 1 Realmente não são a mesma coisa…
Homem 2 Realmente: tudo. Ou nada.
Homem 1 Tudo.
Homem 2 Nada!
Por Tudo e Por Nada, Nathalie Sarraute

Informação adicional

Peso 0.200 kg