Ficções 9

5.00 

Esgotado

Categoria: Etiquetas: ,

Descrição

A Ficções abre com uma “bluette” de Prosper Merimée , o grande impulsionador do género contístico na segunda metade do século XIX e conhecido autor da novela Carmen. O Quarto Azul, em tradução de Ana Cardoso Pires , é uma narrativa leve e despretensiosa, que investe graciosamente no anedótico. O mesmo não se pode dizer do conto “filosófico” de Leopold Von Sacher-Masoch , O Caminheiro, em tradução de Teresa Seruya . É uma investida séria e grandiloquente no campo do folclore místico e do kitsch e dá-nos um Sacher-Masoch muito próximo de anarquista…De Júlio Dantas , o massacrado autor de A Ceia dos Cardeais e de A Severa, incluímos o conto-crónica histórica Os Serenins de Queluz , de ambiente alucinado e grotesco. De Castro Soromenho , um dos pouquíssimos autores portugueses de impressão africana, romancista, contista e jornalista, publicamos A Morte da Chota, da colecção de contos Rajada e Outras Histórias. De Cesare Pavese , José Lima traduziu O Blusão de Couro, e de Hannes Pétursson , o poeta e contista islandês, Luísa Costa Gomes traduziu do castelhano – com revisão de Gudbergur Bergsson – o quase kafkiano O Homem da Tenda. Fernando Venâncio traduziu Existe um homem que tem o costume de me dar com um guarda-chuva na cabeça do argentino Fernando Sorrentino , um universo também ele paredes-meias com Kafka. Inclui-se ainda Começos , um extraordinário conto do escritor americano Robert Coover , com tradução de Luísa Costa Gomes . A Ficções tem ainda o prazer de apresentar dois inéditos portugueses, o delicioso Deleituras de Óscar de Sá , a história de um insólito comércio culto e de Artur Pires , Na Europa Tropical, uma inesperada visão de Lisboa.